‘A administração tem papel fundamental para melhorar a qualidade empreendedora do Brasil’, afirma presidente do Conselho Federal de Administração

    A sede da Afuset, no Campus Setrem, ficou lotada por autoridades, lideranças municipais e regionais, imprensa, acadêmicos e colaboradores da Setrem na terça-feira, dia 13 de setembro, em mais uma edição do Cardápio do Conhecimento.

    O evento, que abordou sobre ‘Tendências da Administração’, contou com almoço e palestra com o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz, e foi organizado pelo Curso de Administração da Faculdade Setrem, com realização da Setrem, ACI/Sindilojas, Prefeitura de Três de Maio e Conselho Federal de Administração.

    A mesa oficial foi composta pelo diretor-geral da Setrem, Sandro Ergang; prefeito de Três de Maio, Marcos Corso; presidente da ACI, Jesildo Lima; presidente do Sindilojas, Dilson Mireski; e pelo palestrante Mauro Kreuz.

    O coordenador do curso de Bacharelado em Administração da Faculdade Setrem, Alexandre Chapoval Neto, destacou a alegria de contar com a casa cheia no evento que integra as comemorações do centenário da Setrem. Ele também comentou sobre a formatura da 50ª turma do curso Bacharelado em Administração, ocorrida no último sábado, e a comemoração do Dia do Administrador, no dia 9.

    O diretor-geral Sandro Ergang disse que sempre é bom relembrar o motivo da realização do Cardápio do Conhecimento, que é trazer palestras com pessoas que contribuem para o crescimento e formação contínua dos participantes.

    “Setembro é especial para a Setrem. O Campus se abre em vida, florindo para o município. São 100 primaveras que compartilhamos este trabalho feito pelos colaboradores e pela comunidade, afinal, a Setrem foi criada pela comunidade; é uma instituição comunitária e filantrópica”, afirmou, acrescentando que, anualmente, a instituição distribui em torno de R$ 5 milhões em bolsas sociais aos estudantes, confirmando seu significativo papel social.

    O presidente da ACI definiu o evento como momento ímpar, já que é preciso, o tempo todo, aprender. “Precisamos esvaziar a xícara para continuar aprendendo”, evidenciou o prefeito Corso.

    ‘Precisamos estar prontos para recomeçar, de forma diferente, e mudar nosso mindset’
    “Ver esta casa lotada me deixa muito feliz. Cumprimento todos os presentes, especialmente os empresários que ousam empreender neste país. Vocês são corajosos e ousados, pois empreender é para os fortes”, iniciou o palestrante.

    Kreuz, que contou ter sido professor do coordenador Alexandre, disse que falar sobre tendências da administração é desafiador. “Existem realidades, cada vez mais inusitadas e inesperadas. Temos que planejar estratégica, tática e operacionalmente com o nosso ‘avião’ sem poder pousar. Vivemos tempos inusitados, que têm gerado fortes impactos sobre todos nós, sobre a academia que forma e sobre os profissionais”, explicou.

    Para ele, estamos todos no ponto de partida. “A sensação que tenho é que estou nascendo hoje e preciso aprender tudo novamente. Ou seja, estamos no marco zero, e esta é a sensação predominante e desconfortante, porque os saberes que estudamos não servem mais. Precisamos estar prontos para recomeçar, de forma diferente, e mudar nosso mindset (modelos mentais).”

    O administrador afirmou que muito se evoluiu, mas o momento é de rever e recomeçar, pois o mundo já está sofrendo os impactos que o Metaverso, a Internet das Coisas e a Inteligência Artificial provocarão sobre todos. “Vamos entrar na era disruptiva, quando teremos mudanças brutais nos negócios e novos modelos de negócios surgirão.”

    Outro ponto abordado pelo presidente do CFA diz respeito ao apego que os empresários têm aos seus negócios. “Fomos educados a ter apego, e esta era é de zero apego a negócios. Não existe mais espaço para apegos. Por isso a frase ‘aprender a desaprender para aprender’ faz todo o sentido atualmente. Parece fácil falar, mas praticar isso é difícil. Quem sabe para a geração dos nativos digitais seja mais fácil, mas para nós é diferente.”

    Kreuz revelou que, em janeiro, quando encerra seu ciclo em Brasília, junto ao CFA, pretende voltar a operar como empresário de negócios. “O grande negócio hoje é montar redes e gerar boa carteira de clientes, por isso digo que o melhor negócio é montar negócios para vender negócios. Mas atentem que o negócio é um meio de vida, por isso o apego não é bom.”

    Sobre os administradores formados pela Setrem, ele enalteceu os mais de 1.400 profissionais das 50 turmas. “A Setrem é uma das poucas instituições centenárias que recebem minha presença. É um tributo que faço à instituição por ser tão longeva em um país tão difícil e complicado quando governos entregaram o bem mais preciso de uma nação séria – a educação – para grupos financeiros internacionais. Aqui vi a interação social da Setrem com a comunidade regional, conectada de todas as formas.”

    ‘Só teremos empreendedorismo mais longevo e sustentável com a administração’
    “A administração tem papel fundamental para melhorar a qualidade empreendedora do Brasil. Só teremos empreendedorismo mais longevo e sustentável com a administração”, disse Kreuz.

    De acordo com o presidente do CFA, o Brasil tem a sétima taxa empreendedora do mundo, mas a maior taxa de mortalidade de negócios do mundo, e várias são as razões para isto. “Temos empreendedorismo predominantemente por necessidade e não por oportunidade. E apenas 30% de empreendedorismo inovador, pois para inovar tem que haver condições, e a carga tributária e a taxa de juros mais altas do mundo.”

    Ou seja, são ambientes hostis para empreender, o que requer cada vez mais o uso da ciência da administração para fazer bons planos de negócios, análises e prospecção de cenários e observação da viabilidade econômica e financeira, já que em negócios não há caridade, acrescentou.

    Ele ainda afirmou que não se ensina empreendedorismo, porque é um comportamento humano, ligado ao perfil. Mas quem abastece o empreendedorismo é a ciência da administração, conforme Kreuz. “Não há como empreender sem administração. Estudos mostram que a cada dez desejos empreendedores, apenas três ou quatro têm perfil para empreender. Alguns têm vontade, mas não têm perfil.”

    Para o administrador, a era disruptiva é de alta complexidade. “A tecnologia mudou e vai continuar mudando a vida de todos nós, afinal, ela coube no bolso de todos. Logo, estamos sempre em busca de conhecimento. E eu decidi que quero aprender todos os dias e isso exige reaprender e a mudar o mindset”, finalizou Kreuz, que esteve pela segunda vez na Setrem.

    Natural de Cerro Largo, Kreuz construiu sua vida acadêmica e profissional na URI, onde foi aluno, funcionário, professor, coordenador, diretor, pró-reitor e reitor. Residindo em São Paulo desde 1999, está no quarto ano na presidência do CFA e também há quatro anos como diretor da Câmara de Formação Profissional. Ele ainda é presidente do Fórum dos Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas.

    Fonte: Ascom Setrem