Setrem sedia 43ª Amostra de Teatro da Rede Sinodal de Educação

    ‘Tem palavras que chegam como um abraço... e têm abraços que não precisam de palavras...’ Foi com esta frase, exposta na entrada do Auditório do Campus Setrem, que, na sexta-feira, 26 de agosto, os atesistas foram recepcionados na 43ª Amostra Estudantil de Teatro da Rede Sinodal de Educação (Atese).

    Sediada pela Setrem, a amostra de teatro deste ano contou com a participação de alunos de seis instituições da região que fazem parte da rede: Colégio Evangélico Augusto Pestana, de Ijuí; Colégio Frederico Jorge Logemann, de Horizontina; Instituto Sinodal Da Paz, de Santa Rosa; Colégio Evangélico Panambi, de Panambi; Colégio Sinodal Rui Barbosa, de Carazinho; e Centro de Ensino Médio Setrem, de Três de Maio.

    A abertura do evento teve a presença do presidente da Mantenedora Setrem, Nelson Moura de Oliveira; do diretor-geral da instituição, Sandro Ergang; da coordenadora da Educação Básica, Ana Cláudia Leite; da coordenadora do Ensino Fundamental e Ensino Médio, Fernanda Sartor; da professora de teatro da Setrem e coordenadora da 43ª Atese, Ana Lúcia Paniz; da diretora do Instituto Sinodal Da Paz, Leila Rebelato; do prefeito de Três de Maio, Marcos Corso; e das representantes da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto, Rosana Foletto e Gelci Assmann.

    O diretor Sandro destacou o quanto o dia era especial para as instituições e alunos participantes da Atese. Ele relembrou que a última edição do evento, também sediada pela Setrem, ocorreu em 2019. “A última Atese antes da pandemia, também foi a última edição com o protagonismo da professora de teatro do grupo Poracaso da Setrem, Margarete Stiegelmeier, que nos deixou em dezembro daquele ano.” Emocionado ao relembrar a importância do trabalho de Margarete na instituição, foi aplaudido. “E agora, em 2022, voltamos a sediar a Atese em virtude da comemoração do centenário da instituição”, completou.

    Ao afirmar a importância do teatro na vida das pessoas, o diretor-geral da Setrem acrescentou duas frases famosas sobre a arte. “Conforme Aristóteles citou, ‘A arte imita a vida’. Mais tarde, Oscar Wilde declarou que ‘A vida imita a arte mais do que a arte imita a vida’. Mas, se olharmos para os cenários mais contemporâneas, podemos dizer que a arte prospecta o nosso futuro.”

    O diretor-executivo da Rede Sinodal de Educação, Ruben Goldmeyer, que participou do encontro de forma online, deixou uma mensagem aos presentes. “É uma grande alegria ver esta retomada, mesmo que em formato regional, da Atese. No futuro, vocês terão orgulho de dizer que foram atesistas. Agradeçamos a Deus a oportunidade de estarmos juntos novamente.”

    O prefeito Marcos Corso, ex-aluno da Setrem e também ex-atesista, relembrou emocionado da época em que participava do grupo de teatro Poracaso, dos ensinamentos deixados pela professora Margarete e das participações em edições da Atese. “O teatro me ensinou muito. Cresci como pessoa. Lembro deste palco e é impossível não se emocionar estando aqui!”

    Na sequência, a pastora Mariza Allebrandt, da IECLB, proferiu a mensagem do dia, seguida de um momento de oração. “O teatro nos ajuda no dia a dia a termos as nossas barreiras quebradas. Muitas vezes, temos dificuldades em subir no palco da vida e o teatro nos inspira, nos move, para termos vontade de seguir”, declarou.

    A Atese também contou com um depoimento da ex-aluna da Setrem e ex-atesista Ana Clara Paniz Danazollo. Hoje, ela cursa Artes Cênicas com habilitação em Direção Teatral na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). “A Atese é um grande evento. Foi pela Atese que eu descobri e decidi o que queria fazer na minha vida. O teatro é coisa séria. Aproveitem estes momentos maravilhosos que o evento proporciona!”

    ‘Atese é uma tradição dentro da Rede Sinodal de Educação’
    Durante todo o dia ocorreram apresentações dos grupos teatrais das escolas. A primeira a se apresentar foi a escola anfitriã, com o espetáculo ‘A Ratoeira’, do grupo Poracaso. O segundo espetáculo foi ‘O Auto da Compadecida’, do grupo Eis a questão, do Colégio Frederico Jorge Logemann. Após o almoço, o terceiro espetáculo foi ‘Lisbela e o Prisioneiro’, do grupo Perdidos no Palco, do Colégio Evangélico Augusto Pestana. Na sequência, o quarto espetáculo foi ‘A feira é agora, escolha seus frutos’, do grupo Script, do Colégio Sinodal Rui Barbosa; o quinto espetáculo foi ‘Ócios do Ofício’, do grupo Etc & Tal, do Colégio Evangélico Panambi; e o sexto e último espetáculo do dia foi ‘A Partilha’, apresentado pelo grupo Cata-vento, do Instituto Sinodal da Paz.

    Todos os espetáculos foram debatidos e parodiados e, ao fim do dia, foi realizado um happy hour, com homenagens aos 3ºanistas e highlanders. De acordo com a professora de teatro Ana Lúcia Paniz, que também coordenou a 43ª Atese, fazer teatro é muito bom. “A Atese, em seu recomeço após a pandemia, ocorreu de forma regionalizada, pensada e organizada com muito carinho para que todos se sentissem bem. As peças teatrais apresentadas foram maravilhosas, assim como o reencontro. Esta retomada marca grandes eventos que ainda estão por vir, já que a Atese é uma tradição dentro da Rede Sinodal de Educação”, avalia Ana.

    Fonte: Ascom Setrem