Vida & Saúde trata mais um caso grave de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica

    O Hospital Vida & Saúde obteve sucesso em mais um tratamento de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica associada à Covid-19. É o segundo caso deste tipo que a UTI Pediátrica do hospital trata em menos de um ano.

    O pequeno Gael Estreich, de 2 anos, deu entrada no hospital no dia 22 de janeiro, vindo da cidade de Santo Cristo, com o diagnóstico de Covid-19. A pediatra Paula Chitolina Ministério conta que a criança chegou com um quadro grave de anemia. Além de passar por transfusões de sangue, Gael ainda enfrentou comprometimento renal, lesões de pele e derrame cardíaco.

    Diferentemente do outro caso tratado pelo hospital no ano passado – da pequena Valentina – Gael não desenvolveu problemas pulmonares. Por outro lado, em comum entre os dois casos - além do diagnóstico – foi o acompanhamento dos pais. Em isolamento na unidade, a mãe do pequeno Gael acompanhou de perto o trabalho da equipe, e fez questão de agradecer a dedicação de cada um.

    Ao longo de 19 dias, Gael foi acompanhado pela equipe multiprofissional da UTIP, que não mediu esforços para sua recuperação. Além da pediatra, enfermeiros, técnicos em enfermagem, nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudióloga e farmacêutico compõem a equipe, que oferece a segurança de um tratamento adequado e completo a cada paciente.

    No dia 10 de fevereiro, a alta de Gael foi celebrada na UTIP, com balões e muita alegria. Ainda em estudo pelos médicos, a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica ainda não tem uma causa clara. De acordo com dados do Ministério da Saúde, divulgados em fevereiro, desde abril do ano passado foram registrados mais de 700 casos em todo o Brasil, sendo que 46 evoluíram para óbito. Em todo o mundo, casos deste tipo têm sido notificados de forma crescente.

    “Ainda não sabemos porque acontece este quadro grave com algumas crianças. Mas sabemos que o sucesso no tratamento desses casos aqui no Hospital Vida & Saúde se deve ao trabalho de uma dedicada equipe multidisciplinar”, finaliza a médica.

    Fonte: Hospital Vida & Saúde