Voluntariado: a possibilidade de ser solidário e abraçar uma missão

Há aproximadamente três anos, os advogados da empresa Binicheski e Witcak Advogados, de Três de Maio, prestam trabalho voluntário para a Apae de Três de Maio. Os profissionais Dr. Iracildo Binicheski, Dr. Régis Luis Witcak, Dra. Roseleide Binicheski e Dra. Thais Vargas Binicheski fazem o atendimento às famílias dos assistidos da Apae nas dependências da instituição todas as terças-feiras à tarde, mediante agendamento. Em razão dos processos em tramitação, permanentemente, em algum momento, algum dos profissionais atua no escritório.

Os advogados explicam que realizam atendimentos relacionados à busca de medicamentos, interdições, substituição de curatela e requerimento de benefícios assistenciais, basicamente. E, ocasionalmente, quando estão nas dependências da Apae, são procurados para opinar sobre tais aspectos.

Os profissionais contam que a ideia deste voluntariado surgiu em uma visita da diretora administrativa da Apae, Nadir Gabe, ao escritório, para a ampliação da colaboração que já vinham prestando à instituição. “Na oportunidade, após seu relato das dificuldades enfrentadas, lhe pedimos quais eram as carências maiores no dia a dia da entidade. Uma das que nos foram expostas era a dificuldade em encontrar atendimento jurídico uniforme para as famílias dos assistidos, relacionadas com estes, a fim de que a entidade pudesse participar com seus profissionais da psicologia, fisioterapia, terapia ocupacional e assistentes sociais, do atendimento. Naquele momento, abraçamos esta verdadeira missão”, acrescentam.

Para eles, o trabalho voluntário na Apae representa, acima de tudo, a possibilidade de serem solidários com a situação de famílias invariavelmente muito pobres. E também pelo sentimento humano e espiritual, que os move a compartilharem com elas a busca de aplacar as situações difíceis que enfrentam. “Todos, sem distinção, têm condições e oportunidade de serem solidários com as dificuldades do próximo. A aproximação com as mais variadas entidades que atendem os necessitados é gratificante para quem se doa e importante para quem recebe a doação.”

 

Texto e foto: Jaqueline Peripolli / Jornalista MTE 16.999